Ótica Visual

Ótica Visual

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Assú recebeu mais de 610 mil reais de royalties em fevereiro

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) repassou para a Prefeitura do Assú o valor de 610 mil 47 reais e 39 centavos referentes aos royalties da Petrobras. O valor corresponde ao mês de fevereiro. O rapasse se deu no último dia 21 do citado mês. O acumulado desde o primeiro repasse do ano passado segundo a ANP totaliza 10 milhões 632 mil 826 reais e 63 centavos. Ainda em fevereiro e de royalties Afonso Bezerra recebeu 784 mil 643 reais e 44 centavos; Alto do Rodrigues (947.886,23); Carnaubais (860.948,63); Ipanguaçu (3.031,98); Itajá (2.756,34); Jucurutu (3.307,61); Macau (1 milhão 71 mil 254 reais e 36 centavos); Mossoró (1.395.904,53); Paraú (2.756,34); Pendências (209.260,04); Porto do Mangue (37.746,95); São Rafael (2.756,34); Serra do Mel (790.238,15); e Upanema (826.753,21). Cidades potiguares como Antonio Martins, Guamaré e Grossos entre outras também receberam recursos provenientes da exploração de petróleo em suas terras.

Aos poucos: Relatório do IGARN aponta pequena melhora na coleção hídrica do Rio Grande do Norte

O primeiro Relatório da Situação Volumétrica dos principais reservatórios do Estado, divulgado pelo Instituto de Gestão das Águas do RN (IGARN), nesta sexta-feira (23), aponta pouca melhora na situação das reservas hídricas potiguares. A região Seridó foi onde houve maior variável de volume dos açudes, já a região do Alto Oeste não obteve mudança significativa na maioria dos seus mananciais. Em comparação com o período anterior às últimas chuvas, dos 47 reservatórios com capacidade superior a cinco milhões de metros cúbicos, monitorados pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do IGARN, 17 continuam em volume morto e 16 estão secos. Anteriormente, 17 estavam em volume morto e 17 secos. Situado em Santana do Matos, o açude Alecrim estava sem leitura, ou seja, considerado seco. Após as últimas precipitações chegou a 960 mil metros cúbicos, ou 13,71% da sua capacidade que é de 7 milhões de m³. O açude Rio da Pedra, também localizado em Santana do Matos, merece destaque, pois recebeu mais de 1 milhão de metros cúbicos de água e atingiu 8,62% de sua capacidade, que é de 13 milhões de metros cúbicos. Antes das chuvas o manancial estava com apenas 11 mil m³, o que correspondia a 0,08% do seu volume total. No Alto Oeste, o reservatório com maior ganho de volume foi Encanto, que está com 2,5 milhões de metros cúbicos, 48,94% da sua capacidade total, que é de 5,192 milhões de m³. Antes das chuvas o reservatório estava com 46% do seu volume máximo. Os outros mananciais da região, ou não obtiveram recarga, ou obtiveram ganho de menos de 1%. Com relação aos três maiores reservatórios estaduais, a situação permanece estável, já que mesmo com a utilização de suas águas para os sistemas de abastecimento dos municípios potiguares, seus índices permaneceram muito parecidos.
A Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, anteriormente às chuvas, estava com 10,84% da sua capacidade, que é de 2,4 bilhões de metros cúbicos. Atualmente está com 10,99%, o que corresponde a 263,688 milhões de metros cúbicos. Segundo maior reservatório do Estado, a barragem Santa Cruz do Apodi praticamente não teve mudança no seu volume. No último dia 09 de fevereiro estava com 13,96% de sua capacidade. Atualmente está com 13,92%, o que corresponde a 83,488 milhões de metros cúbicos dos 599 milhões que acumula quando cheia. A barragem de Umari, em Upanema, também seguiu o mesmo cenário, permanecendo com 13% de sua capacidade, 40,326 milhões de m³ dos 292 milhões que acumula no seu volume total. A Bacia Apodi/Mossoró está com 130,170 milhões de metros cúbicos, o que corresponde a 11,83% da sua capacidade hídrica superficial total. Já a Bacia Piranhas/Assu está com 330,648 milhões de m³, 11,14% do seu volume total superficial.  A Lagoa de Extremoz, responsável por parte do abastecimento da Zona Norte da Capital, está com 7,603 milhões de metros cúbicos, correspondente a 69% do seu volume máximo, que é de 11 milhões de m³. No último dia 9, ela estava com 6,879 milhões de m³, 62,43% da sua capacidade.  A Lagoa do Jiqui que possui 440 mil metros cúbicos e abastece parte da Zona Sul de Natal estava com 97% do seu volume total e agora se encontra totalmente cheia.  Já a Lagoa do Bonfim, que fornece água para a Adutora Monsenhor Expedito, teve um ganho de menos de 2% em seu volume. Estava com 50,54% de sua capacidade, agora está com 52,28%, 44,057 milhões de metros cúbicos dos 84,2 que possui quando cheia.
Fonte: IGARN

Manutenção em comportas da Armando Ribeiro suspende abastecimento em Assú

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) informa que o fornecimento de águas para a cidade de Assú está suspenso neste final de semana. A parada acontece em virtude da manutenção das comportas da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, serviço realizado pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs). A previsão de conclusão do serviço, informado pelo Dnocs, é a manhã do domingo (25), momento em que o sistema da Caern será religado. O prazo para completa normalização da distribuição de água é de 48 horas, quando a rede estará completamente pressurizada.

Desfile de moda e grupo de pagode constam do programa oficial da quinta edição da Feira da Lua

Um desfile de moda, que ocorrerá nas dependências do Cine Teatro Pedro Amorim, e a participação musical do grupo de pagode Samba A7, estão incluídos dentro da programação oficial da 5ª edição da Feira da Lua, que acontecerá no próximo dia 03 de março, sábado, entre 18h e 23h, na Praça São João, espaço público principal do Assú. Expositores de diversas atividades econômicas ocuparão a área central do logradouro. O evento é realizado pela Prefeitura através da Sala do Empreendedor – parceria do município e o escritório regional do Sebrae/RN. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Luís Oliveira, frisa que a Feira da Lua cresce a cada edição.
Em cada realização a Feira ganha uma nova dimensão, por isso existe uma permanente preocupação da Prefeitura em estar atenta aos detalhes para assegurar o seu sucesso”, declarou.
Terça-feira (20), os expositores cadastrados para o evento reuniram-se no Sebrae/RN para tratar justamente dos detalhes e preparativos, além de conhecer o novo formato proposto para a Feira. A iniciativa insere-se dentro do conceito da gestão do prefeito Gustavo Montenegro Soares de respaldar ações que possam favorecer e incrementar a atividade econômica e a geração de oportunidade e renda.
Fonte: Prefeitura do Assú – Secretaria Municipal de Comunicação e Ouvidoria

Aneel mantém bandeira tarifária verde para as contas de luz em março

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária de março continuará na cor verde, o que significa que não haverá cobrança extra nas contas de luz. Com isso, nos três primeiros meses do ano, não terá havido cobrança adicional nas contas de energia. Em janeiro, a bandeira já havia ficado na cor verde. Em fevereiro a Aneel decidiu manter a tarifa no mesmo patamar. A manutenção dela em março significa que a situação nos reservatórios das hidrelétricas continua a melhorar, devido à volta das chuvas. Nos últimos meses de 2017, por causa do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, houve cobrança extra nas contas de luz via bandeira tarifária. Isso ocorre para arrecadar recursos necessários para cobrir custos extras com a produção de energia mais cara, gerada por termelétricas. Em outubro e novembro vigorou a bandeira vermelha no patamar 2, a mais alta prevista pela agência. Em outubro, o acréscimo foi de R$ 3,50 a cada 100 kWh consumidos no mês. Em novembro, como a Aneel antecipou a revisão dos valores que seriam aplicados a partir de janeiro de 2018, o valor adicional passou para R$ 5,00 a cada 100 kWh. Já em dezembro, em razão do início do período chuvoso, a agência reguladora determinou a cobrança da bandeira vermelha, mas no patamar 1, com cobrança extra de R$ 3,00 a cada 100 kWh.
Fonte: Agência Brasil